Ir para o conteúdo

Branding: o que é e como fazer?

5 min. de leitura

Avatar de CWI.Digital House

CWI.Digital House Autor


Imagem com perspectiva de cima de um homem branco sentado em uma mesa mexendo em um computador. Percebemos alguns blocos de anotações, um fone de ouvido e uma paleta de cores espalhadas na mesa.
Fonte: Envato Elements

Pense por um momento, o que faz uma marca viver na sua mente sem pagar aluguel? Aquela que você volta dia após dia ou que escolhe de olhos fechados. Pensou? Pois bem, você acaba de ter o seu primeiro contato com o conceito de Branding. 

Jingles, cores, formatos, protagonistas, valores… A gestão de marca constrói uma personalidade com o objetivo de gerar identificação. Essa escolha dá valor ao produto/ serviço e o posiciona no mercado de forma a cativar o cliente.

Quer entender melhor o que é Branding e como ele impacta o seu negócio? Vamos lá!

Afinal, o que é Branding?

Branding é um conjunto de ações para fazer a gestão de marca com o objetivo de se manter relevante para o mercado e atual para o público alvo. 

De acordo com o “pai” do Marketing, Philip Kotler, o princípio de gestão da marca, está na criação de características próprias e exclusivas que ajudem a identificar a marca, diferenciando-se da concorrência. 

O Branding é responsável por gerar sensações inconscientes no consumidor de maneira sutil através do tom de voz e posicionamento em conjunto de outras técnicas. Tudo isso auxilia na hora da decisão de compra. 

Percebe como esse conjunto de técnicas pode fazer a diferença no seu negócio? 

Para obter resultados positivos, é necessário o planejamento de médio e longo prazo, mapeando pontos de contato com o cliente e a forma de encantá-lo nesses momentos. Essa estratégia é chave para garantir o crescimento sustentável de uma marca. 

Vale lembrar a fala do autor do livro “Isso é Marketing”, Seth Godin, que afirma: “Uma marca é um conjunto de expectativas, memórias, histórias e relacionamentos que, juntos, são responsáveis por fazer o consumidor escolher um produto ou serviço em vez de outro”.

Identidade alinhada ao propósito 

A primeira coisa que você deve ter em mente é: todo o produto ou serviço é criado para atender uma necessidade ou desejo. 

Ou seja, toda empresa nasce com o objetivo claro de atender uma demanda em evidência. 

Tendo isso em vista, lembre-se sempre que: uma marca vai além da identidade visual.

Ela é baseada em estudos que consideram aspectos culturais, econômicos e sociais do seu público alvo. Afinal, o consumidor considera seus valores e desejos na hora de atender suas necessidades.

Ter posicionamento em assuntos como saúde, sustentabilidade e relações familiares contam muito na tomada de decisão. 

E aqui entra um ponto importante para o Branding, o propósito da marca. Para entender melhor, você deve responder às perguntas: 

  • Por que a sua marca existe?
  • Qual o papel dela na vida do cliente?
  • Qual solução é oferecida?
  • Qual o impacto dessa marca no mundo?

Branding: Por onde começar?

Como você pode ver, o conceito de gestão de marca pode ser o passo que falta para potencializar o seu produto e alavancar o negócio. Agora que você entende um pouco mais sobre essa estratégia, surge a dúvida: 

  • Como posso fazer a gestão de marca do meu negócio? 

Fique tranquilo. A gente traz aqui algumas ferramentas e ações para te ajudar na construção de um Branding de sucesso. 

  1. Construção da Marca 

Esse é o primeiro passo do processo, na fase de construção de marca você determina tudo o que precisa para entrar no mercado ou atualizar sua posição. Esse passo é dividido em duas partes, na primeira se trabalha o posicionamento e na segunda  identidade visual da marca. 

  1. Marketing de Conteúdo 

Criar uma relação afetiva entre marca e cliente é uma forma esperta de envolver o público. Através do marketing de conteúdo você pode reforçar posicionamentos sociais, ambientais e outros. Além de fortalecer os valores da sua marca. 

Para isso, você pode usar diversos formatos de conteúdo como: vídeos, podcasts, infográficos, textos em blog… Toda a criatividade é bem vinda nessa hora. 

Em seu blog, Neil Patel levanta para os seguintes dados sobre o marketing de conteúdo:

  • 91% dos profissionais usam o marketing de conteúdo para promover o reconhecimento da marca; 
  • 85% entendem que o motivo principal para criar conteúdo é construir a marca e percepções positivas em torno dela;
  • 72% acreditam que o conteúdo da marca é mais eficaz do que a publicidade em revistas. 
  1. Redes Sociais 

Um estudo da Unfollow Algorithm aponta que 50% dos usuários seguem entre uma e quatro marcas nas redes sociais. Fazendo deste, um espaço rico para se relacionar com o cliente.  

Não apenas isso, uma estratégia direcionada para as redes pode impulsionar seu produto ou serviço, além de consolidar a marca. Nas mídias você pode:

  • Reforçar a identidade visual da empresa; 
  • Fortalecer seu posicionamento e ressaltar a personalidade da marca;
  • Compartilhar conteúdos de valor; 
  • Mapear e interagir com os consumidores, gerando relacionamento.

Com essas medidas, você já tem um caminho para iniciar o seu processo. Elas não precisam ser seguidas nessa ordem ou em totalidade, mas são recomendadas para garantir o êxito. 

Brand Equity ou Valor de Marca

A expressão Brand Equity, em tradução livre, significa Valor de Marca e tem o objetivo de trabalhar a forma como a empresa é vista pelos clientes. Afinal, uma coisa é uma empresa reconhecida pelo mercado, outra coisa é a forma como ela é vista e falada pelo público. 

E é esse o ponto trabalhado pelo Brand Equity. 

Kotler e Keller, nomes reconhecidos no marketing,  propõem que a marca seja construída de forma sequencial e, para isso apontam a Pirâmide de Ressonância de Marca como o caminho. 

Imagem da Pirâmide de Ressonância de Marca com o elemento ressonância no topo, seguido (de cima para baixo) por julgamento e sensações em segundo, desempenho e imagem em terceiro e, por último, proeminência.

O Brand Equity trabalha questões abstratas, o que não pode ser mensurado financeiramente, mas quando bem estruturado pode ser inestimável. Marc Gobé, autor do livro Emotional Branding, afirma que: “As marcas emocionais que as pessoas desejam são o elemento mais importante do composto de marketing atual”. 

Marcas que são bem sucedidas na construção de Brand Equity percebem o valor de seus clientes, podem ditar influências no mercado e consumar a lealdade à marca. Bacana, não?

Brand Voice – O que é isso? 

Você já deve ter ouvido a frase –  “Não é o que se fala, mas como”. 

Essa sentença reafirma a ideia de que as palavras podem te levar a qualquer lugar. Por isso, saber se comunicar é fundamental para seguir o rumo certo e conquistar os objetivos desejados. 

É aí que entra a Brand Voice, ponto chave de Branding.  

A Brand Voice se trata do tom e voz que a marca utiliza para se comunicar com o público alvo. 

Lembre-se: o consumidor busca atender às necessidades e preza por marcas com valores similares aos seus. 

Ao definir um discurso de marca condizente com seus clientes, acontece um estreitamento na relação entre empresa e consumidor. Essa escolha de comunicação deve marcar presença em todas as plataformas da marca, das redes sociais ao  Inbound Marketing.   

O objetivo macro da Brand Voice é compartilhar os valores da empresa e aumentar o engajamento com os clientes, trabalhando na fidelização. 

Para construir uma Brand Voice efetiva é necessário um estudo sobre a persona que consome o seu produto, conhecendo seus desejos, dores e expectativas a comunicação fica muito mais assertiva.

Sabia que a Digital House pode te ajudar na aplicação e fortalecimento de estratégias de branding? 

Com o know how em tecnologia e especialistas na área de comunicação, a Agência Digital da CWI consegue oferecer um produto único para o seu negócio e integrar o seu objetivo às soluções tecnológicas. 

Agora que você já conhece o conceito de Branding e a sua importância, venha conversar com a gente e elaborar sua estratégia de gestão de marca. 

Artigos utilizados para a construção deste texto:

Gostou?